*** NIJU KUN: 1- Não se esqueça que o Karate deve iniciar com saudação e terminar com saudação; 2- No Karate não existe atitude ofensiva; 3- O Karate é um assistente da justiça; 4- Conheça a si próprio antes de julgar os outros; 5- O espírito é mais importante do que a técnica; 6- Evitar o descontrole do equilíbrio mental; 7- Os infortúnios são causados pela negligência; 8- O Karate não se limita apenas à academia; 9- O aprendizado do Karate deve ser perseguido durante toda a vida; 10- O Karate dará frutos quando associado à vida cotidiana; 11- O Karate é como água quente. Se não receber calor constantemente torna-se água fria; 12- Não pense em vencer, pense em não ser vencido; 13- Mude de atitude conforme o adversário; 14- A luta depende do manejo dos pontos fracos (KYO) e fortes (JITSU); 15- Imagine que os membros de seus adversários são como espadas; 16- Para cada homem que sai do seu portão, existem milhões de adversários; 17- No início seus movimentos são artificiais, mas com a evolução tornam-se naturais; 18- A prática de fundamentos deve ser correta, porém na aplicação torna-se diferente; 19- Não se esqueça de aplicar corretamente: alta e baixa intensidade de força, expansão e contração corporal, técnicas lentas e rápidas; 20- Estudar, praticar e aperfeiçoar-se sempre."

Open Brasil de Karate

Seguidores

Academia VIP Bolsa Atleta Federal Restaurante Varandão do Zé Carlos
DVDs de Karate-Do Kimonos Opção - A Marca dos Campeões

O Melhor da Net

Nihon Karate Kyokai Mão de Ferro Escola de Karate-Do do Brasil Karate Santamariense Mosteiro Zen Morro da Vargem Jutsko - Gustaaf Lefevre Junior Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem Comitê Brasileiro de Clubes

Visualizações

Visitantes

Translate

ZÉ CARLOS SENSEI, O CULTOR DE JEQUITIBÁS

José Carlos Sensei, ladeado por seus filhos, netos e bisnetos no Karate-Do

A fria noite da quinta-feira, 22 de julho de 2021, foi acalorada a partir da ilustríssima visita-surpresa do pioneiro do karate-do maricaense ao honbu dojo (sede) da Associação Maricaense de Karate-Do (AMK), local que é o berço desta arte marcial no município fluminense. Trata-se de ninguém menos que José Carlos de Souza Celestino, popular e carinhosamente conhecido como Sensei Zé Carlos, que na ocasião reencontrou dois de seus primeiros alunos em meio a outros ex-alunos e parte de sua família no karate-do.

Ainda em meados da década de 70, foi José Carlos Celestino Sensei quem inegavelmente introduziu o karate-do em Maricá, cidade considerada portal da Região dos Lagos do estado do Rio de Janeiro. A alvorada desta saga teve seu início quando o militar reformado, Sr. Carlos Paixão (in memoriam), que era capoeirista, boxer e judoka - um autêntico entusiasta das artes marciais e lutas em geral - convidou o instrutor José Carlos, então faixa preta 1º dan em karate-do no estilo Shotokan Senpai (aluno mais antigo) de Fernando Gomes da Silva Sensei no Judo Clube Ventapane onde treinava em Niterói, RJ, para em sua chácara no bairro maricaense Pedreiras, ministrar aulas ao seu filho caçula, Carlos Henrique Cardoso da Paixão, que à época tinha nove anos de idade.
Mestres (em pé) e parte dos Instrutores da Associação Maricaense de Karate-Do (AMK)

Motivados pelo consistente progresso do então menino Henrique, muitos outros alunos se engajaram às aulas de Zé Carlos
Sensei, a exemplo de Antonio Carlos Cardozo da Silva, filho primogênito do orgulhoso pai, Sr. Carlos Paixão, patrono desta linda história, que ao longo destas já seis décadas, promoveu a fundação da Associação Tigre de Karate - progenitora da futura AMK - quase uma centena de faixas preta entre instrutores, árbitros e técnicos, milhares de praticantes e também vitoriosos atletas na Seleção Brasileira da Confederação Brasileira de Karate (CBK), entre os quais Caciana AlmeidaEric Henrique BragaKelly Fernandes e Larissa Barbosa Braga.

Graças a sinergia promovida por um amoroso pai e um obstinado pioneiro karateka, a partir do início da década de 80 aquelas sementes cuidadosa e rigorosamente cultivadas ao longo dos anos por meio de diligente treinamento, germinaram e portentosamente ergueram-se como dois Jequitibás para frutificarem karate-do em toda Maricá, por diversas gerações até os dias de hoje, tendo como uma de suas fundamentais premissas o desenvolvimento do labor inaugurado por José Carlos Sensei. Ainda naquele período, Antonio CardozoHenrique Paixão fundaram suas escolas de karate-do UKS e AMK respectivamente, a qual aglutinou a Associação Tigre de Karate após José Carlos Sensei radicar-se em definitivo em Santos, São Paulo. A partir de 1986, Antonio Cardozo e Henrique Paixão tornaram-se alunos de Teruo Furusho Sensei (in memoriam), mas isto é outra história...

Assista ao depoimento de Zé Carlos Sensei contando sobre o nascimento do karate-do maricaense ao clicar aqui.
Depoimento de José Carlos Sensei sobre o nascimento do karate-do maricaense 

Repercussão:
  • Seu site, jornal ou revista
Próximos desafios:
Agosto
  • 27 a 29 - Meeting Nacional Sênior de Karate - Caucaia, CE
Setembro
  • 8 a 12 - Campeonato Brasileiro de Karate Sênior - Caucaia, CE
Outubro
  • 28 a 31 - Campeonato Brasileiro de Karate Cadete e Júnior - Caucaia, CE
Novembro
Dezembro
  • 8 a 12 - Campeonato Brasileiro de Karate Sub 14 - Caucaia, CE
Turma jovem e adulta no dojo sede da AMK
Turma infantil e jovem no dojo sede da AMK

Conheça um pouco mais da AMK e fique por dentro dos dias e horários de treinamento em diversos locais no site www.karateamk.com

José Roberto Braga
Diretor Técnico da AMK
Faixa preta 4° danReg. CBK 19.0003-4
Prof°. Ed. Física da Rede Estadual (CREF 031403-G/RJ)

Nenhum comentário: